Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Músicas recentes:
Veja as músicas que já tocaram por aqui.
Fale conosco via Whatsapp: +55 47 98915 6272
No comando: Giro 360

Das 0:00 às 05;59

No comando: Marco Alexandre – Domingão da Véia

Das 06:00 às 10:59

No comando: Belmiro Avancini – Manhã da Véia

Das 06:00 às 10:59

No comando: Sapo – Extended

Das 11:00 às 11:59

No comando: Marco Alexandre – Extended Especial

Das 11:00 às 12:59

No comando: Marcio Andrade – Hollywood Classics

Das 12:00 às 12:59

No comando: Sapo – Tarde da Véia

Das 13:00 às 17:59

No comando: Marcelo Nobre – I Love 80’s

Das 18:00 às 18:59

No comando: Giovani (Gigio) – Avós do Brasil

Das 19:00 às 19:59

No comando: Marco Alexandre – Pendrive do Marco Véio

Das 19:00 às 20:59

No comando: Belmiro Avancini – Faixa Etílica

Das 19:00 às 20:59

No comando: Marco Alexandre – Clássicos da Véia

Das 20:00 às 22:59

No comando: Bailinho da Véia

Das 21:00 às 21:59

No comando: Marco Alexandre – Extended Especial

Das 22:00 às 23:59

No comando: Sapo – Extended

Das 23:00 às 23:59

Menu

A canção do Black Sabbath que deixou marcas profundas em Brian Johnson, do AC/DC

Apesar de Brian Johnson ter gravado quatro álbuns de estúdio com o Geordie nos anos 70, ele só alcançou o topo na pirâmide do rock’n’roll depois de se juntar ao AC/DC em 1980, lançando em pouco tempo um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos, “Back in Black”, apesar da insegurança inicial de Brian em assumir o posto deixado pelo lendário Bon Scott e gravar o novo álbum.
Mas talvez a história fosse outra caso Brian não tivesse ouvido uma canção quando ainda estava muito, mas muito longe do estrelato, lançada pelo Black Sabbath em 1970, quando ele era ainda um jovem de 22 anos de idade, que já cantava mas estava em bandas ainda sem uma clara definição do tipo de música que deveriam fazer.

“Eu era um aprendiz na Parsons e todos os dias no almoço os caras qualificados pegavam os jovens aprendizes e diziam: ‘Ok, me traga duas tortas e um sanduíche de salsicha'”, se referindo ao trabalho que ele tinha nos estaleiros de North Tyneside, cidade próxima à Newcastle. “Você recebia o dinheiro contado e os chefes deixavam você sair para ficar na fila. O café se chamava The Paddock. Havia uma fila e havia uma jukebox lá. Eu lembro que uma vez eu estava na fila e essa música tocou”, contou Brian em entrevista para a BBC, em transcrição feita pela Rock Celebrities. De qual música Brian estava falando? “Era ‘Paranoid’ do Black Sabbath. Todos ficamos tipo: ‘Quem é esse?’. Aquilo se tornou o assunto e todos começaram a procurar dinheiro nos bolsos para continuar alimentando a jukebox. Assim que voltei do trabalho, falei com toda a banda e disse ‘Temos que aprender essa música'”. A banda em questão era a The Jasper Hart Band, que de certa forma deu origem ao Geordie, que seria formado cerca de dois anos mais tarde.

Apesar de muitos associarem o Black Sabbath com músicas mais pesadas, Brian acha que o som do quarteto britânico formado por Tony Iommi, Ozzy Osbourne, Geezer Butler e Bill Ward tinha tudo a ver com o que ele faria ao longo de sua carreira, tanto com o Geordie quanto posteriormente com o AC/DC: “Não sou um grande fã de pessoas que chamam: Hard Rock, Heavy Rock (e etc). É Rock and Roll poderoso que as pessoas adoram tocar e ouvir. Acho que ‘Paranoid’ realmente é uma música importante que causou uma grande impressão em mim”, concluiu o cantor.

Deixe seu comentário:

Widgets

Você pode adicionar widgets nessa coluna indo em Personalização -> Widgets em seu painel de controle.

Segue lá